COMPRE POR WHATSAPP - ATENDIMENTO EXCLUSIVO E PERSONALIZADO - CLIQUE AQUI

IDEIA_01 | MINHA ROUPA FEITA COM QUADRADOS


                                                                                                                 INSIGHT

Em 2008 estive em uma exposição sobre o trabalho de 5 designers japoneses no Barbican Center em Londres. Eram eles, Rei kawakubo, Issey Miyake, Kenzo, Junya Watanabe e Yohji Yamamoto. Nesta época estava morando no Rio de Janeiro e desenhando para algumas marcas cariocas, num período de respiro financeiro e criativo entre o final da primeira fase de minha marca em 2006 e o retorno dela em 2016. Nesta exposição, a partir de um vestido de Yohji Yamamoto feito com a repetição de retângulos acendeu uma luz em minha cabeça: precisava voltar a me exercitar criativamente de forma autoral e a partir desta inspiração me propor a um desafio - Criar roupas, móveis e objetos a partir da repetição de uma mesma forma. Me aventurei em algumas novas plataformas criativas mas acabei focando no que realmente dominava que era o design de roupas.

                                                                                     QUADRADO

Sempre admirei os movimentos artísticos e os movimentos de arquitetura mais concretos, mais minimalistas. Sempre admirei mais a construção de formas do que o trabalho de superfície. Diante destas identificações estéticas, pensei no elemento geométrico do quadrado como elemento a ser exaustivamente testado por mim.

Cortei inúmeros quadrados em vários tamanhos e em diversos tecidos e comecei minha maratona de descobertas sobre as limitações e as infinitas possibilidades deste “statement”.

Tentei, tentei e tentei e não consegui produzir nada com estes quadrados. Franzi, dobrei, plissei, só não cortei pois o elemento deixaria de ser um quadrado. Numa dessa minhas aventuras, diante de uma irritação comigo e com o pobre do quadrado, rasguei uma parte do tecido e sem me dar conta deste gesto, percebi que tinha me deparado com a salvação de minha idéia. Ao rasgar este quadrado, a fenda gerada ao se abrir gerava um volume de tecido que me remetia ao volume do godê, ao volume dos drapeados, dos degagês, do que poderia ser redondo ou qualquer outra forma, me  abrindo um universo ilimitado de possibilidades.

 

                                                                                                                  QUADRADO + 1 FENDA 

No meu rigor estético e no rigor de meu “statement” e diante da necessidade de uma consciência voltada para o desperdício zero, elaborei melhor meu conceito que passava a ser o seguinte: Aproveitar a largura total do tecido, na maior parte das vezes tirando 2 quadrados por largura. Sempre a fenda seria exatamente no meio do quadrado e numa profundidade igual à metade da lateral do quadrado. De forma que num tecido de 1,60 mts de largura teria 2 quadrados de 0,80 X 0,80 com uma fenda ao meio numa profundidade de 0,40 mts. Este então foi o início de minhas experimentações em construir formas com quadrados e uma fenda.

                                                                                                                     PRIMEIROS ENSAIOS

Minha primeira criação continua em minhas coleções até hoje – uma blusa construída com 3 quadrados. Ela já foi feita em malha, em seda, em moletom e ainda vai se aventurar em muitas outras bases. A partir dela construí peças desde 1 quadrado até 48 quadrados num só modelo. Este processo de moulage se assemelha mais a um processo escultórico onde ao colocar o tecido e sua caída sobre um manequim. Ao começar nunca sei o resultado que chegarei. Uma viagem sem destino. O único roteiro estipulado é liberar o imaginário e construir formas belas para as minhas roupas. Hoje, 70 % de minha coleção segue este “statement” e 30 % são modelos complementares que proporcionam um look e uma experiência inteira com a marca Mareu Nitschke que desde 2016 coloquei de volta para minhas fiéis clientes.

                                                                                                                 FUTURO

Quanto mais eu me utilizo desta forma e deste conceito mais eu percebo que posso desenvolver mais, adotar caminhos diversos, cruzando as fendas, sobrepondo em camadas este quadrados, fazendo paneaux de quadrados menores e depois cortando uma modelagem tradicional neste tecido tipo uma patch work tridimensional e por aí vai. Minha idéia é continuar neste processo e gerando produtos que sejam primeiro de tudo lindos, depois confortáveis e sobretudo com uma assinatura que dê força e grandeza a que o veste. Acompanhe minha evolução. A criação segue!!!